Giverny- descubra um dos jardins mais fantásticos do mundo !!!

Fomos ao pacato vilarejo de Giverny, na Normandia, França e visitamos o famoso jardim cultivado pelo pintor impressionista Claude Monet em plena primavera! Venha conhecer esse jardim espetacular e único!

Giverny_ Adriano Gronard

Tulipas híbridas com papoulas roxas no jardim de Giverny, em Vernon, França. I Foto: Adriano Gronard

Um pouco da história…

Quando Monet e sua família se instalaram em 1883 na cidade de Vernon, onde encontra-se Giverny, Monet já era um pintor renomado e já havia ficado viúvo de sua primeira esposa, Camille.

Monet havia escolhido a cidade de Vernon devido às boas escolas próximas para a educação de seus filhos, além, é claro, da exuberante paisagem circundante , rica em temas para suas pinturas impressionistas . Veja abaixo algumas pinturas famosas que Monet produziu antes de se mudar para Giverny:

  • Obra "Coquelicots- La promenade"- 1873
    Obra "Coquelicots- La promenade"- 1873
  • Obra " Jean Monet em uma cavalo mecânico"- 1872
    Obra " Jean Monet em uma cavalo mecânico"- 1872
  • Obra " Primavera"- Claude Monet- 1872
    Obra " Primavera"- Claude Monet- 1872
  • Obra "Jardin à Sainte Adresse"- 1867
    Obra "Jardin à Sainte Adresse"- 1867
  • Obra " A Estação Saint -Lazare"- 1877
    Obra " A Estação Saint -Lazare"- 1877

Nas obras acima, as nuances da luz natural em diversos horários e estações sobre a paisagem e sobre o comportamento das pessoas era um importante fator para a escolha do tema das pinturas.

Inicialmente, Monet alugou a casa  e, 7 anos mais tarde, a comprou como fruto do grande sucesso da venda de seus quadros.

Junto com a casa, Monet comprou pouco a pouco os terrenos e edifícios circundantes . Então, ele construiu uma estufa e um segundo estúdio.

Paisagista autodidata

Monet escrevia  instruções diárias aos seus jardineiros, com desenhos precisos e layouts para plantações. Também escrevia e organizava as faturas para as compras de flores e de sua coleção de livros de  Botânica.

Monet I Bibliotèque I Adriano Gronard

Monet pesquisava muito sobre as mais variadas espécies botânicas. Nesta estante à direita, verificamos dezenas de livros relacionados a jardinagem e horticultura. Ao longo dos anos, ele desenvolveu paixão pela botânica, inclusive trocando plantas com os amigos Clemenceau (importante político da época) e Caillebote (outro pintor impressionista), sempre à busca de variedades raras.
Foto: Adriano Gronard

Organização dos jardins ao redor da casa (Jardim da Normandia)

Claude Monet não gostava de jardins organizados e  simétricos, como pregava o paisagismo tradicional francês. Preferia organizar as flores de acordo com as suas cores e as deixava crescer livremente.

Foto: Adriano Gronard

As tulipas são mescladas com outras flores, dando a impressão de “flores silvestres”. Em Giverny, Monet misturava flores mais simples (margaridas e papoulas) com as variedades mais “vistosas e esculturais”, como tulipas, jacintos e narcisos.

O terreno é dividido em canteiros  de flores de diferentes alturas, criando  volumes. Àrvores frutíferas ou ornamentais dominam a paisagem, também composta por rosas trepadeiras, as hastes delgadas de malvas , e os maciços de flores e folhagens coloridas de cultivo anual.

Casa ao Cubo

Árvores frutíferas ou com flores ornamentais dominam a paisagem do jardim de Giverny para quem o vê a partir da casa do pintor. Destaque para uma cerejeira japonesa florida I Foto: Adriano Gronard

O esplendor e o colorido do Jardim da Normandia

Veja algumas fotos que selecionamos após nossa visita e aproveite para conhecer algumas espécies  e ideias compositivas que talvez você ainda não conheça:

cerejeira japonesa I Casa ao Cubo I Adriano Gronard

Detalhe da exuberância da cerejeira japonesa em Giverny I Foto: Adriano Gronard

Jacintos em Giverny I Foto: Adriano Gronard

Jacintos em Giverny . Ao fundo, tulipas e narcisos  I  Foto: Adriano Gronard

Jacintos na cor rosa I Foto: Adriano Gronard

Jacintos na cor rosa. Ao fundo, à direita, jacintos e narcisos na cor branca I Foto: Adriano Gronard

Os narcisos brancos se destacam de flores mais simples que os circundam neste canteiro em destaque I Foto: Adriano Gronard

Os narcisos brancos se destacam de flores mais simples que os circundam neste canteiro em destaque I Foto: Adriano Gronard

Giverny_ Adriano Gronard

Tulipas híbridas no jardim de Giverny, em Vernon, França. I Foto: Adriano Gronard

Giverny I Casa ao Cubo

Narcisos brancos e amarelos se destacam na borda deste canteiro I Foto: Adriano Gronard

 

img_5988

Arcos com rosas trepadeiras estão presentes no corredores entre quase todos os canteiros ao redor da casa. Elas florescem principalmente em junho nesta região(vistamos o jardim em abril). Foto: Adriano Gronard

 

O Jardim d’Água

Em 1893, Monet começou um vasto projeto de paisagismo incluindo lagos com ninfeias, que se tornariam  temas de suas obras mais conhecidas.Em 1899,  ele começou a pintar as  ninfeias pela primeira vez e, mais tarde, ele realizou uma série de pinturas em grande escala, com as quais ele se ocuparia pelos próximos 2o anos. Algumas de suas maiores telas  fazem parte, atualmente, do acervo  do Museu Orangerie, em Paris (veja links para acesso direto ao fim da matéria) .

Encontra-se, nesse jardim, a famosa ponte japonesa, coberta com glicínias plantadas pessoalmente pelo próprio Monet. Outras pontes menores, chorões e uma floresta de bambu compõem este jardim, destacando-se as famosas ninfeias, plantas aquáticas que florescem durante todo o verão europeu (nossas fotos foram tiradas na primavera).

Giverny- ponte japonesa

Ponte japonesa. A ponte atual é menos íngrime que a original encomendada por Monet Fonte: Fondation Claude Monet

Sempre à procura de névoas e de transparências, Monet passou a concentrar os temas de suas obras cada vez mais nos reflexos das águas, totalizando mais de 200 pinturas catalogadas somente com o Jardim d’Água retratado em diferentes condições climáticas , estações e horários.

Monet-Giverny_Casa ao Cubo_Adriano Gronard

Uma das vistas mais famosas de Giverny. Lago de Ninfeias e ao fundo a ponte japonesa, que Monet fez questão de pintar de verde, para se desvincular do vermelho utilizado tradicionalmente nos jardins japoneses para pintar as pontes de madeira I Foto: Adriano Gronard

img_5972

Jardim d’Àgua  I  Foto: Adriano Gronard

Top

Azaleias à frente e chorão ao fundo I Foto: Adriano Gronard

Para quem quiser ver mais fotos do Jardim d’Água, selecionamos abaixo essa galeria de fotos, que mesclamos propositalmente com a imagem de um dos quadros de Monet. Aqui, natureza e arte se confundem:

  • Foto: Adriano Gronard
    Reflexos
  • Foto: Adriano Gronard
    Inspiração de Monet
  • Foto: Adriano Gronard
    Luminosidade é tudo em um quadro impressionista!
  • Adriano Gronard
    Top!
  • Monet
    Ninfeia
  • Foto: Adriano Gronard
    Quem nunca?
  • Foto: Adriano Gronard
    Você conhece esse barquinho de alguma pintura?
  • Foto: Adriano Gronard
    Amarelo vibrante
  • Foto: Adriano Gronard
    Quadro?

 

Giverny

Não parece uma pintura? Foto: Adriano Gronard

 

 

O interior da casa

img_5740

Vista da casa para o jardim I Foto: Adriano Gronard

Veja fotos do lado interno da casa para sentir um pouco mais como Monet vivia com sua família e como recebia seus convidados:

  • Casa ao Cubo
    Lareira
  • Casa ao Cubo
    Escrivaninha com tampa retrátil
  • Casa ao Cubo
    Sala de almoço
  • Casa ao Cubo
    Sala de almoço
  • Uma grande cozinha para preparar para MUITOS convidados
    Uma grande cozinha para preparar para MUITOS convidados
  • Casa ao Cubo
    Vamos cozinhar?
  • img_5771
    img_5771
  • Lindo!!
    Lindo!!
  • Veja como eram as cubas de cozinha antes da chegada do aço inox
    Veja como eram as cubas de cozinha antes da chegada do aço inox
  • Fogão
    Fogão
  • Panelas de cobre na cozinha
    Panelas de cobre na cozinha
Visão a partir da casa

Visão a partir de uma janela da casa. Em destaque , a composição de árvores ornamentais + arcos com rosas trepadeiras + maciços de flores de diversas alturas. Ao fundo, encontra-se um bosque plantado por Monet com o lago e a famosa ponte Foto: Adriano Gronard

Onde Comprar

Garimpamos livros e plantas muito interessantes que você pode adquirir:

Na Livraria Cultura, você pode adquirir o livro The taste of Giverny. O livro mostra o “saber viver” dos impressionistas que visitavam Monet, com receitas de suas comidas favoritas, seus jogos e passatempos. Escrito por Claire Joyes, esposa do bisneto de Monet e uma de suas maiores biógrafas. Compre na Livraria Cultura.

The taste of Giverny

Ainda na Livraria Cultura, há disponível a versão digitalizada do livro ” Monet” de Nathalia Brodskaya.

monet

Livro “Monet” de Nathalia Brodskaya . à venda no link: http://www.livrariacultura.com.br/p/monet-81631810#

Você pode comprar facilmente algumas das espécies perenes utilizadas por Monet e que se adaptam melhor ao nosso clima: chorões, azulzinhas, cerejeiras japonesas e glicínias, por exemplo na Arte’n Gramas. Endereço completo: Av. Yervant Kissajikian, 1479- São Paulo- SP Telefone: (11) 5563-4747, com opção de entrega em domicílio.

Links interessantes

Para quem quer saber mais sobre a inspiração que o lago com ninfeias exerceu sobre a vida artística de Monet, o Musée de l’Orangerie disponibiliza um vídeo com uma boa explicação  (em francês). Também há outra opção, um pouco mais abrangente, de um vídeo produzido pelo excelente site  Smarthistory (em inglês).

O jacinto, uma das plantas mais emblemáticas da primavera de Giverny pode ser cultivada nas regiões mais frias de terras “brazucas”. Veja a matéria completa do Globo Rural de como cultivá-lo.

Se depois de tanta inspiração nesse jardim lindo, você tiver vontade de plantar suas próprias ninfeias, Marcelo Marthe explica como cultivá-las .

Esperamos ter contribuído com novas ideias e muita inspiração impressionista! Até nosso próximo post!

Texto: Adriano Gronard

ADRIANO GRONARD I  ALESSANDRA PALMEZAN I  JÉSSICA ROSSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
0