Você se permitiu parar diante do MASP e simplesmente observar?

Observar sua arquitetura?

MASP - Museu de Arte de São Paulo. Arquitetura Brutalista, projetada por Lina Bo Bardi. Concreto e vidro. Suas colunas vermelhas e são vão livre são suas principais características e fizeram do edifício o mais emblemático cartão postal de São Paulo. Casa Ao Cubo. Foto: Pedro Kok.

DETALHE DA ARQUITETURA BRUTALISTA DE LINA BO BARDI: CONCRETO E VIDRO. DESTAQUE PARA A COLUNA VERMELHA. Foto: Pedro Kok.

 

Observar seu entorno e a pulsante Avenida Paulista?

O MASP - Museu de Arte de São Paulo - está inserido na pulsante Avenida Paulista. Arquitetura Brutalista, projetada por Lina Bo Bardi. Concreto e vidro. Suas colunas vermelhas e são vão livre são suas principais características e fizeram do edifício o mais emblemático cartão postal de São Paulo. Casa Ao Cubo. Foto: Fernando Stankuns.

VOCÊ JÁ PAROU PARA OBSERVAR COMO O MASP ESTÁ INSERIDO NA PULSANTE AVENIDA PAULISTA??? Foto: Fernando Stankuns.

 

Observar a vista privilegiada que dali se tem do centro de São Paulo?

O MASP - Museu de Arte de São Paulo - está inserido na pulsante Avenida Paulista. Uma das condições para a doação desse terreno tão privilegiado foi a preservação da vista para o centro da cidade, através do vale da Avenida 9 de Julho. Daí a idéia do "vão livre". Foto: Archdaily - ©Wikiarquitectura.

UMA DAS CONDIÇÕES PARA CONSTRUIR O MUSEU NESSE TERRENO TÃO PRIVILEGIADO, FOI A PRESERVAÇÃO DA DESLUMBRANTE VISTA PARA O CENTRO DA CIDADE, ATRAVÉS DO VALE DA AVENIDA 9 NOVE DE JULHO. DAÍ A IDÉIA DO “VÃO LIVRE”. Foto: Archdaily – ©Wikiarquitectura.

 

Você REALMENTE conhece o mais emblemático ícone de São Paulo?

 

Viaje por essa história carregada de cultura e curiosidades:

 

  1. CHATÔ: O IMPÉRIO DE UM JAGUNÇO;
  2. O NASCIMENTO DO MASP;
  3. UM DOS PRIMEIROS CENTROS POLICULTURAIS DO MUNDO;
  4. NOVO ENDEREÇO: AVENIDA PAULISTA;
  5. LINA BO BARDI CRIA O MAIS EMBLEMÁTICO CARTÃO POSTAL DE SÃO PAULO;
  6. RAINHA ELIZABETH II INAUGURA O NOVO MASP;
  7. O MASP HOJE;
  8. VISITE!

 

 

1. CHATÔ: O IMPÉRIO DE UM JAGUNÇO

ASSIS CHATEAUBRIAND, EMPREENDEDOR VISIONÁRIO, COMANDAVA UM VERDADEIRO IMPÉRIO MIDIÁTICO. NOS ANOS DE 1940, INICIOU UMA NOVA E OUSADA EMPREITADA: FORMAR UM MUSEU DE NÍVEL INTERNACIONAL NO BRASIL. CASA AO CUBO. Foto: Acervo Estadão.

ASSIS CHATEAUBRIAND, EMPREENDEDOR VISIONÁRIO, COMANDAVA UM VERDADEIRO IMPÉRIO MIDIÁTICO. NOS ANOS DE 1940, INICIOU UMA NOVA E OUSADA EMPREITADA: FORMAR UM MUSEU DE NÍVEL INTERNACIONAL NO BRASIL. Foto: Acervo Estadão.

 

O paraibano Assis Chateaubriand foi o fundador dos Diários Assossiados, que em meados dos anos 1940 era o maior conglomerado de veículos de comunicação do Brasil.

 

Ele comandava um verdadeiro império midiático: 34 jornais, 36 emissoras de rádio, uma agência de notícias e uma editora.

 

Também se preparava para ser o pioneiro da televisão na América Latina (TV Tupi) e futuro proprietário de 18 estações.

 

Chateaubriand tinha o espírito empreendedor e utilizava-se da influência de seu conglomerado para pressionar a elite do país a auxiliá-lo em suas iniciativas políticas, econômicas e culturais.

 

 

2. O NASCIMENTO DO MASP

PIETRO MARIA BARDI E ASSIS CHATEAUBRIAND NA INAUGURAÇÃO DO MASP, EM 2 DE OUTUBRO DE 1947. INICIALMENTE, O MUSEU FUNCIONAVA NO EDIFÍCIO GUILHERME GUINLE, SEDE DOS DIÁRIOS ASSOSSIADOS. Casa Ao Cubo. Foto: Acervo Estadão.

PIETRO MARIA BARDI E ASSIS CHATEAUBRIAND NA INAUGURAÇÃO DO MASP, EM 2 DE OUTUBRO DE 1947. INICIALMENTE, O MUSEU FUNCIONAVA NO EDIFÍCIO GUILHERME GUINLE, SEDE DOS DIÁRIOS ASSOSSIADOS. Foto: Acervo Estadão.

 

Nesta época, Chatô iniciou uma nova e ousada empreitada: a aquisição de obras de arte para criar um museu de nível internacional no Brasil.

 

Com o fim da Segunda Guerra Mundial e a Europa em reconstrução, muitas coleções com obras de relevo eram postas à venda. O aumento exponencial das ofertas derrubou os preços das obras de arte em níveis inéditos!

 

Chateaubriand, no entanto, apesar de apreciador, era um leigo no assunto. Para garantir a seleção de peças de alto valor e com garantias de autenticidade, convidou Pietro Maria Bardi, galerista, colecionador, jornalista e crítico de arte italiano.

 

Durante um almoço em Copacabana, no verão de 1946, Pietro aceitou o convite para criar e dirigir um “Museu de Arte” no país.

 

Pretendia ficar à frente do projeto por apenas 1 ano, mas acabou dedicando-se a ele pelo resto de sua vida, tendo dirigido a instituição por quase meio século.

 

Mudou-se definitivamente para o Brasil com sua esposa italiana, a arquiteta Lina Bo Bardi, trazendo consigo seu acervo artístico particular e uma vasta fototeca com imagens de obras consagradas.

 

O museu foi inaugurado em 2 de outubro de 1947, no Edifício Guilherme Guinle, em um prédio projetado pelo arquiteto francês Jacques Pilon para ser a sede dos Diários Associados. Localizava-se na Rua 7 de Abril, no centro de São Paulo.

 

 

3. UM DOS PRIMEIROS CENTROS POLICULTURAIS DO MUNDO!

LINA BO BARDI NO MASP (Museu de Arte de São Paulo) 7 DE ABRIL, EM 1950. EXPOSIÇÃO DE LE CORBUSIER. Casa Ao Cubo. Foto: Site Vitruvius

LINA BO BARDI NO MASP 7 DE ABRIL, EM 1950. EXPOSIÇÃO DE LE CORBUSIER. Foto: Site Vitruvius

 

Em apenas 3 anos, o museu já contava com pinacoteca, sala de exposição didática sobre a história da arte, salas para exposições temporárias, auditórios, biblioteca, laboratório fotográfico, cursos e palestras, mostras de artistas nacionais e estrangeiros de todas as correntes, manifestações de teatro, música e cinema.

 

O museu era um ponto de encontro de artistas, estudantes e intelectuais em geral.

 

Assim, o MASP inaugurava o conceito de espaço museológico multidisciplinar, tornando-se uma das primeiras instituições do mundo a atuar com perfil de centro cultural, décadas antes da fundação do Centre Georges Pompidou, em Paris – CLIQUE NVEJA MATÉRIA COMPLETA

 

Em 1950 foi criado o IAC – Instituto de Arte Contemporânea – , englobando diversos cursos (gravura, desenho, pintura e escultura). Havia também cursos nas áreas de fotografia, ecologia e moda.

DESFILE COM MODELOS DE CHRISTIAN DIOR REALIZADO NO MASP 7 DE ABRIL EM 1951. Casa Ao Cubo. Foto: Site Folha de São Paulo.

DESFILE COM MODELOS DE CHRISTIAN DIOR REALIZADO NO MASP 7 DE ABRIL EM 1951. Foto: Site Folha de São Paulo.

 

Lina Bo Bardi coordenou a Escola de Desenho Industrial do MASP, a primeira iniciativa neste campo no Brasil. O curso utilizava os métodos pedagógicos da Bauhaus e formou um importante contingente de designers brasileiros.

CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL DO IAC NO MASP 7 DE ABRIL. Casa Ao Cubo. Foto: Peter Scheier.

CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL DO IAC NO MASP 7 DE ABRIL. Foto: Peter Scheier.

 

Por fim, ao longo de sua história, o museu foi ponto de partida de outras instituições, como a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), a escola de artes da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) e a Mostra Internacional de Cinema. Os filmes da mostra eram exibidos com exclusividade no museu em seus primeiros anos.

 

 

4. NOVO ENDEREÇO: AVENIDA PAULISTA

TERRENO NA AVENIDA PAULISTA ONDE ANTES HAVIA O BELVEDERE TRIANON (TRADICIONAL PONTO DE ENCONTRO DA ELITE PAULISTANA) E POSTERIORMENTE FOI CONSTRUIDO O NOVO PRÉDIO DO MASP. Casa Ao Cubo. Foto: Site SP City.

TERRENO NA AVENIDA PAULISTA ONDE ANTES HAVIA O BELVEDERE TRIANON (TRADICIONAL PONTO DE ENCONTRO DA ELITE PAULISTANA) E POSTERIORMENTE FOI CONSTRUIDO O NOVO PRÉDIO DO MASP. Foto: Site SP City.

 

No final da década de 1950, com o crescimento do volume do acervo e com a ampliação das atividades didáticas do museu, surgiu a necessidade de mais espaço e ambientes mais amplos, adequados às atividades ali exercidas.

 

Havia na Avenida Paulista um terreno antes ocupado pelo Belvedere Trianon, tradicional ponto de encontro da elite paulistana.

Em cima, o Belvedere Trianon, ponto de encontro da elite paulistana. Abaixo, o túnel da Avenida 9 de Julho já pronto. Casa Ao Cubo Foto: Site O Estranho Mundo Do Pato.

EM CIMA, O BELVEDERE TRIANON, PONTO DE ENCONTRO DA ELITE PAULISTANA. ABAIXO, O TÚNEL DA AVENIDA 9 DE JULHO JÁ PRONTO. Foto: Site O Estranho Mundo Do Pato.

 

O Belvedere Trianon foi projetado por Ramos de Azevedo e demolido em 1951 para dar lugar ao pavilhão da primeira Bienal Internacional de São Paulo.

Pavilhão da primeira Bienal de São Paulo, em 1951. Casa Ao Cubo. Foto: Site SP City.

PAVILHÃO DA PRIMEIRA BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, EM 1951. AVENIDA PAULISTA. Foto: Site SP City.

 

O terreno foi doado à prefeitura por Joaquim Eugênio de Lima, que idealizou e construiu a Avenida Paulista. A condição era de que a vista para o centro da cidade através do vale da Avenida 9 de Julho fosse preservada.

Belvedere Trianon, ponto de encontro da elite paulistana. De lá, vista impressionante do centro de São Paulo e da Serra da Cantareira. Casa Ao Cubo. Foto: Site SP City - Década de 1920.

VISTA DO BELVEDERE TRIANON, PONTO DE ENCONTRO DA ELITE PAULISTANA. DE LÁ, UM PANORAMA DESLUMBRANTE DO CENTRO DA CIDADE E DA SERRA DA CANTAREIRA. Foto: Site SP City – Década de 1920.

 

A concessão do local para a construção da nova sede do MASP foi feita em troca da divulgação da campanha eleitoral de Ademar de Barros nos Diários Assossiados.

 

Eleito, Ademar manteve o acordo, dando início aos trabalhos.

 

GALERIA do Belvedere Trianon:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

5. LINA BO BARDI CRIA O MAIS EMBLEMÁTICO CARTÃO POSTAL DE SÃO PAULO

QUANDO FOI CONSTRUÍDA, A NOVA SEDE DO MASP CONTAVA COM ESPELHOS D'ÁGUA, QUE EM 1973 FORAM REMOVIDOS PARA O ENCURTAMENTO DAS CALÇADAS NO PROJETO "NOVA PAULISTA". Casa Ao Cubo. Foto: Hans Gunter Flieg.

QUANDO FOI CONSTRUÍDA, A NOVA SEDE DO MASP CONTAVA COM ESPELHOS D’ÁGUA, QUE EM 1973 FORAM REMOVIDOS PARA O ENCURTAMENTO DAS CALÇADAS NO PROJETO “NOVA PAULISTA”. Foto: Hans Gunter Flieg.

 

Para cumprir a exigência de preservar a vista do terreno para o centro de São Paulo e para a Serra da Cantareira, através do vale da Avenida 9 de Julho , seria necessário um edifício subterrâneo ou um edifício suspenso.

 

Lina Bo Bardi optou pela soma duas soluções: um bloco subterrâneo e outro bloco elevado, suspenso a 8 metros do piso.

 

Sua arquitetura é simples e monumental, materializada através de um grande volume que se suspende para deixar o térreo livre, passando a sensação de estruturar-se em dois grandes pórticos.

O PRÉDIO DO MASP É UM VERDADEIRO MONUMENTO EM PLENA AVENIDA PAULISTA. SEU CORPO PARECE ESTAR APOIADO SOBRE OS PÓRTICOS, QUE NO INÍCIO ERAM EM CONCRETO BRUTO. Casa Ao Cubo. Foto: Luiz Sadaki Hossaka.

O PRÉDIO DO MASP É UM VERDADEIRO MONUMENTO EM PLENA AVENIDA PAULISTA. SEU CORPO PARECE ESTAR APOIADO SOBRE OS PÓRTICOS, QUE NO INÍCIO ERAM EM CONCRETO BRUTO. Foto: Luiz Sadaki Hossaka.

 

A obra constituiu o maior vão livre do mundo à época de sua construção, com uma extensão total de 74m.

 

Essa inovação foi possível graças ao trabalho do engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz, que aplicou na obra a sua própria patente de concreto protendido.

CONSTRUÇÃO DO NOVO EDIFÍCIO DO MASP NA AVENIDA PAULISTA: INOVAÇÃO AO PROPOR UM VOLUME SUSPENSO, QUE PARECE SUSTENTAR-SE EM DOIS PÓRTICOS. Casa Ao Cubo. Foto: Hans Gunter Flieg.

CONSTRUÇÃO DO NOVO EDIFÍCIO DO MASP NA AVENIDA PAULISTA: INOVAÇÃO AO PROPOR UM VOLUME SUSPENSO, QUE PARECE SUSTENTAR-SE EM DOIS PÓRTICOS. Foto: Hans Gunter Flieg.

 

NOVO MASP EM CONSTRUÇÃO. DESTE ÂNGULO É POSSÍVEL VISUALIZAR O BLOCO SUBTERRÂNEO, QUE ACOMPANHA O DESNÍVEL DO TERRENO EM DIREÇÃO À AVENIDA 9 DE JULHO. Casa Ao Cubo. Foto: Site SP City.

NOVO MASP EM CONSTRUÇÃO. DESTE ÂNGULO É POSSÍVEL VISUALIZAR O BLOCO SUBTERRÂNEO, QUE ACOMPANHA O DESNÍVEL DO TERRENO EM DIREÇÃO À AVENIDA 9 DE JULHO. Foto: Site SP City.

 

DURANTE A CONSTRUÇÃO DO MASP, LINA BO BARDI POSA AO LADO DA PINTURA "O ESCOLAR", DE VAN GOGH. Casa Ao Cubo. Foto: Lew Parrela.

DURANTE A CONSTRUÇÃO DO MASP, LINA BO BARDI POSA AO LADO DA PINTURA “O ESCOLAR”, DE VAN GOGH. Foto: Lew Parrela.

 

 

6. RAINHA ELIZABETH II INAUGURA O NOVO MASP

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-Belvedere-Trianon_SiteSPCity_25

 

 

7. O MASP DE HOJE

MASP visto da Avenida Paulista, com seus pórticos vermelhos e seu popular "vão livre". Casa Ao Cubo. Foto: Leonardo Finotti.

MASP visto da Avenida Paulista, com seus pórticos vermelhos e seu popular “vão livre”. Foto: Leonardo Finotti.

 

MASP com seus pórticos vermelhos e seu popular "vão livre". Casa Ao Cubo. Foto: Leonardo Finotti.

O EDIFÍCIO ESTÁ SUSPENSO A 8m DE ALTURA E SÃO 74m DE VÃO LIVRE. Foto: Leonardo Finotti.

 

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©EduardoOrtega_13

 

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©EduardoOrtega_19

 

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©IlanaBessler_17 MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©JavierAgustinRojas_18

 

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©RomulloBaratto_01

 

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©RomulloBaratto_05

 

MASP-casa-ao-cubo-alessandra-palmezan-arquitetura-interior_Archdaily_©RomulloBaratto_20

 

 

Uma escada ao ar livre e um elevador em aço e vidro são as circulações verticais do edifício. Em um extremo do vazio, atrai os visitantes e os convida a subir lentamente.

 

Clique no vídeo abaixo para fazer um passeio virtual por dentro e por fora do MASP.

 

 

8. VISITE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
0